Geral

A possível re-criação do Ministério da indústria e do Público divisão de política | VISTA

A possível re-criação do Ministério da Segurança Pública tem dividido os políticos e membros do governo nos últimos dias. O presidente, Jair, bolsonaro foi internado na quinta-feira, dia 23, a proposta teria de ser realizada, só para voltar para a fala, disse na sexta-feira, 24, após o desembarque em Nova Deli, Índia. “On” na proposta de um spin-off de “chegar a zero” para prosperar, ” ele admitiu o presidente.

A proposta foi apresentada depois de uma reunião com os secretários de estado de Segurança Pública. A asa bolsonarista a resposta do governo ao impacto do spin-off, e ele assumiu a responsabilidade do presidente em uma possível decisão. Deputada Beatriz Kicis (PSL-DF) publicou o teste em seu perfil no Twitter mostrando a suposta retaliação. Ele pediu para a re-criação dMINISTÉRIO para A SEGURANÇA do PÚBLICO:
( ) Bolsonaro
(x) os Secretários de estado
Aqueles que o apoiaram:
( ) Bolsonaro
(x), Rodrigo Maia, e o como
Aqueles que foram apanhados no momento,mesmo sem a re-criação:
(x), bolsonaro
( ) Os secretários de estado
( ) Por Rodrigo Maia, e o como
O site ihenriolliveira

— Beatriz Kicis (@Biakicis) a 24 de janeiro, 2020Publicidade.

O ministro do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência, general Augusto Heleno, ele fez um comentário como esse. “A proposta de re-criar o Ministério da Segurança Pública não é o Presidente, Jair, bolsonaro, mas que a maioria dos secretários da Segurança do estado, e que eles eram, em Brasília, no dia 22 de janeiro. A qualquer momento, o presidente disse em apoio a esta iniciativa”, disse ele.

Helénica, disse que o ataque contra o presidente do Brasil, será devolvido para os partidos de esquerda nas próximas eleições. “você pode confiar no capitão Jair, bolsonaro, que teve a clarividência e a coragem, sem os recursos, a experiência com o sistema, e para nos dar a esperança de mudança, ou será que vai continuar a atacá-lo, e devolvê-lo para o Brasileiro na esquerda, em 2023. O Argentino está aí para provar que eu estou certo”, concluiu o primeiro-ministro. RelacionadasMais LidasBolsonaro volta e cai a re-criação do serviço foi: “Chance zero’Policy é Política, bolsonaro: para Viver”, é a Justiça”, mesmo se a pasta de Segurança é recriadaPolítica Política está Indo olhar como retaliação para Viver”, diz Olímpio na re-criação da ministérioMundo o Mundo com Os tentáculos da rede brasileira para a corrupção da rainha Elizabeth o SantosEconomia Economia 1Mega uma volta de 2019: verifique os números sorteadosEsporte Sport 2’Big as coisas começam com pequenos passos,’, ele diz que a mulher do SchumacherEntretenimento Entretenimento 3-os dois nomes mais cotados pela Globo, para substituir Marcos HuckEntretenimento Entretenimento 4’Surubão de Noronha, brasil.’ – lo em casa nova

Já é um membro do parlamento, o estado Janaina Paschoal (PSL-SP), disse que é “absurdo” para separar a Justiça e a Segurança, e que “do ponto de vista teórico, e em face da queda os índices de crimes violentos, precisamos lembrar que ela é um novo ministério, isso significa mais gastos, mais empregos, mais de tudo”. “Eu peço de você. Por que, você pergunta? Por que, presidente?”, perguntou o alto-falante. Além de ser ilógico separadas a Justiça e a Segurança do ponto de vista teórico, e em face da queda os índices de crimes violentos, precisamos lembrar que ela é um novo Ministério, isso significa mais gastos, mais empregos, mais tudo. A pergunta que eu tenho. Por que, você pergunta? – Por que, Presidente?Publicidade

— Janaina Paschoal (@JanainaDoBrasil) 23 De Janeiro De 2020.

O senador Alex Vieira (Cidadania portuguesa), em SEGUIDA, ele apontou para os resultados do departamento de Justiça, sob o domínio Mouro, e ele criticou um possível spin-off. “a Segurança do Público tem sido excelente, em 2019, sob a condução do ministro-ao Vivo. Como conseqüência disso? Dirigentes estão começando a lutar por uma mudança na estrutura e é uma divisão do ministério. Para este grupo, o interesse público é sempre uma última tentativa. Não enganar ninguém”.

O ex-candidato à presidência da República, Fernando Haddad (PT), que disputou as eleições contra bolsonaro, ele disse que foi um erro, “abolir o Ministério da Segurança Pública”. “Agora, a vaidade, e você deseja recriá-la. Eu vivo ele seria liberado, e ameaça deixar o governo”, disse ele. Após a notícia do recuo do presidente, que foi publicado: “atento”.

Se o spin-off dos ministérios fosse o caso, o Sergio Viver, e saía fraca, porque eu estaria fora do controle da Polícia Federal (PF), que atualmente responde à administração da Justiça, além de uma das principais bandeiras políticas: a da taxa de homicídios no país. O governo BolsonaroJair BolsonaroMinistério o JustiçaSergio ao Vivo

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar

Notice: ob_end_flush(): failed to send buffer of zlib output compression (1) in /home/raviera/public_html/wp-includes/functions.php on line 4757

Notice: ob_end_flush(): failed to send buffer of zlib output compression (1) in /home/raviera/public_html/wp-includes/functions.php on line 4757