Geral

A reforma da segurança social: o relator introduz uma nova versão da proposta, veja o que você pode mudar e o que é para ser mantida on – line-a A7 Economia

A PEC também pode ser alterado na comissão especial sobre o Paulo Mortos/câmara dos deputados

O relator da reforma da Previdência, a comissão especial da Câmara, deputado Samuel Moreira (PSDB-SP), apresentado na terça-feira (2) uma nova versão de uma opinião.

A nova versão mantém servidores nos Estados e municípios, fora da proposta, apesar da tentativa do presidente do conselho, Rodrigo Maia (DEM-RJ), a entrar em negociações para a re-inclusão do tema nesta fase do processo.

Entre as alterações propostas, o relator sugere que a redução da idade mínima (60 a 57 anos) e a aposentadoria dos professores da rede pública que ingressaram na carreira antes de 31 de dezembro de 2013.

A Proposta de Emenda à Constituição (PEC) pode ser ainda mais alterações, por forma dos destaques do indivíduo e dos partidos políticos e blocos.

Examinado após a votação do texto em geral, as técnicas são uma última tentativa, antes que a próxima etapa do processo, para excluir certos pontos da proposta, ou incluir quaisquer modificações que não tenham sido cumpridas pelo repórter.

Entretanto, o presidente da câmara disse que um acordo está sendo construída entre algumas das partes que não iria ser apresentados em tópicos, com o objetivo de dar mais velocidade para a votação do texto no quadro.

O prefeito disse que pretende votar a reforma da Previdência, em casa, na próxima semana, mas a comissão ainda não tem uma data para a votação da proposta.

Confira abaixo, e que ele estava em disputa nesta fase do processo, o que mudou e o que permaneceu como estava.

Os estados e cidades

A questão de se ou não os Estados e territórios sobre a proposta para o nó primário em que a PEC estava voltada para a comissão especial. O relator decidiu apagar a questão de opinião, deixando o debate para o chão.

A nova versão, esclarece com a força apropriada… a falta de um efeito imediato da PEC, os Estados, o Distrito Federal e os Municípios. Isso é evidente na preservação integral da legislação em vigor em cada um dos exemplo os níveis sub-nacionais, enquanto não há nenhum Assembléias Legislativas e câmaras municipais, no sentido de mudar as regras no regime próprio de previdência social”, diz o texto.

O relator já havia excluído o valor da matéria do parecer emitido no dia 13, sob o pressuposto de que o tema da vinha, encontrando-a lenta tão convincente como” criado por “político”, em uma referência indireta à queda de braço das últimas semanas, entre os governadores e parlamentares.

De um lado, os governadores argumentam que as mudanças propostas para o Regime de segurança Social (RPPS) pode ser estendida a todos os entes federativos, e não só para os servidores da Ue, porque eles percebem que não há uma forma de re-equilibrar as suas contas com o público.

O pagamento de benefícios para o inativo é o item que é a coisa mais importante no seu orçamento da grande maioria dos Estados-membros. O relator havia deixado os Estados e municípíos para fora a sua opinião para a BBC NEWS, BRASIL

O artigo da planta de geração de resistência entre alguns membros do parlamento, especialmente por causa do peso do político de apoio para uma medida que endurece as regras para a reforma do serviço civil.

Sem ser capaz de chegar a um acordo com os outros membros da comissão sobre o assunto, ele optou por suprimir o artigo, e, em seguida, deixá-lo para ser re-incluído na montagem.

Assim como é na nova versão, a mudança na idade mínima, em tempo de contribuição, e outros requisitos para a concessão da pensão, além das regras para o cálculo dos benefícios, eles teriam que ir para o Legislativo de cada Estado e município, e é definida por uma lei complementar.

O presidente do conselho, Rodrigo Maia (DEM-RJ), vinha tentando negociar para a re-inclusão do tema nesta fase do processo. A votação sobre o parecer foi adiada para esta semana devido a uma reunião entre os Maias e os governadores, que teve lugar na terça-feira e quarta-feira, mas o presente ainda não conseguiu fechar um acordo sobre a questão.

A reforma da política é o mesmo que

Representantes de diferentes partidos políticos veio para empurrar, o relator, a comissão para que suavizasse as regras para a aposentadoria dos membros do parlamento. No entanto, a nova versão mantém o que foi referido no texto original.

A proposta, apresentada pelo governo, o Congresso, tem apenas o Plano para a Segurança Social do Congresso (PSSC), que permite que os políticos se aposentar com salário integral, atualmente de R$ 33,6 milhões.

A nova regra, que seria para os legisladores, diplomados, após a aprovação da emenda, e igual ao limite máximo para as pensões de deputados e senadores, para o limite superior do Regime Geral de previdência Social (RGPS), hoje de r$ 5.839,de 45.

A regra de transição para aqueles que agora cumprir com o mandato e escolha a permanecer no PSSC, por sua vez, prevê a aplicação de um “pedágio” para 30% do tempo de contribuição que faltaria, então, que o deputado tinha direito a se aposentar com idade mínima de 62 anos para as mulheres e 65 para os homens.

Na opinião do relator mantida, com os trabalhos citados no texto original, mas os parlamentares argumentaram que as alterações são mais duras do que aquelas estabelecidas para os trabalhadores em setores públicos e privados.

Outras categorias

Havia também a expectativa de que as alterações, referindo-se à estrutura de tópicos propostos pelos parlamentares ligados à segurança pública, como policiais civis, militares e federais, guardas penitenciários e guardas municipais.

As alterações efectuadas neste domínio, em relação à morte de um policial. Na nova versão, ele tem de ser pelo menos o salário mínimo (R$ 998), e se essa é a única fonte de renda dos dependentes, e se o policial foi morto em razão de uma função, e não apenas para o trabalho.

Em março, o líder da sigla na câmara, Delegado Waldir, afirmou que a bancada do PSL, partido do presidente, e iria votar juntos para a reforma do fundo de Pensões após mudanças no texto em seções que tratam das carreiras na função pública relacionados com a segurança do público.

O ilustre Tenente-artes marciais mistas (PDT-MG), disse que os parlamentares querem, a polícia militar dos Estados, e a todos os bombeiros a mesma de pensões dos militares das Forças Armadas. Uma pensão de sobrevivência do policial deve ser de pelo menos o salário mínimo (R$ 998), Getty Images/BBC

Após a leitura do novo relatório do presidente da casa disse que acredita-se ser capaz de fazê-lo até quarta-feira (3) pela manhã, com a condição de que ele está decidido, não é prejudicial para a economia, referidos no relatório.

O líder do governo, deputado Major, Victor Hugo, (DIFERENÇAS GO), disse que a intenção é adicionar uma regra para um mais suave transição para a polícia federal e a polícia rodoviária central. Maia, no entanto, disse que considera improvável que uma medida na reforma. “Você tem que ter muito cuidado para que nada direito agora. Eu acho que você vai precisar para entrar para o ministério da Economia, dizendo que não há nenhum desconforto no diálogo”, disse ele.

O cálculo do benefício

O relatório afirma que, no momento do cálculo da aposentadoria, as contribuições que eles podem fazer para reduzir o salário médio pode ser desprezadas. O texto original afirmou que deve ser levado em conta para 100% do valor do salário.

Isso levaria a uma queda no valor dos benefícios de umas no cálculo da pensão irá apenas levar em conta que 80% do financiamento, o maior, e não exige que 20% a menos.

No entanto, a um tempo desprezado, não conta como uma contribuição.

PIS/PASEP está indo para o BNDES,

A nova versão recupera o texto original da PEC em relação aos Programas de Integração Social e de Formação do Patrimônio do servidor público (PIS/PASEP). Ele fornece a transferência de 28% da renda da empresa brasileira.

“Nós adicionamos o dispositivo para garantir que os programas de desenvolvimento são financiados a partir de tais fundos são devidamente divulgados para o público”, diz o texto.

Da aposentadoria especial

A nova versão também tem aumentado o grupo de categorias nos Estados e municípios podem ter aposentadoria especial.

Antes disso, foi apenas para os servidores que têm uma deficiência, e seus professores. Agora, isso também é verdadeiro para policiais, guardas prisionais, e os trabalhadores, todas as pessoas que trabalham expostos a agentes nocivos químicos, físicos e biológicos, prejudiciais à saúde.

A idade mínima na Constituição

Na versão anterior do texto, ele disse que a lei comum iria fornecer os parâmetros para a concessão de uma pensão para funcionários públicos.

“O melhor para proteger os direitos”, disse a novas orientações, a idade mínima para os servidores públicos está previsto na Constituição, e o resto de parâmetros para a reforma deverão ser definidos em leis complementares, “a fim de evitar a disciplina do assunto por meio de medida provisória, ou, em uma votação token”.

Contribuições para processos e causas sociais

O novo texto também afirma que ele pode ser colocado no lugar contribuições extraordinárias por parte de funcionários públicos, ativos, pensionistas e aposentados, “demonstrada a insuficiência da lei para resolver o problema de déficit atuarial”.

Ele também disse que o processo faz com que a segurança social, poderiam ser julgados na Justiça para o Estado quando o bairro não é o assento do supremo tribunal federal, como exigido pela Constituição ao governo Federal.

BBC Brasil – Todos os direitos reservados – É proibido qualquer tipo de reprodução, sem permissão prévia por escrito da BBC

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar

Notice: ob_end_flush(): failed to send buffer of zlib output compression (1) in /home/raviera/public_html/wp-includes/functions.php on line 4757

Notice: ob_end_flush(): failed to send buffer of zlib output compression (1) in /home/raviera/public_html/wp-includes/functions.php on line 4757