Geral

A vitória de viver-por favor, como se espera para a entrega das casas e Cidades, A7 Gazeta Digital

A Gazeta Digital Gazeta Digital

Expulso da casa no Alto da Serra, Maria de Fátima Ataíde,57, foi viver no ginásio, Esconderijo, com dezenas de outras famílias que não tinham para onde ir. Uma viúva confinado a uma cadeira de rodas, e hoje a mulher vive na casa de seus amigos, enquanto esperam as chaves para a tão esperada house guest house por Nico Baracat 3.

Maria de Fátima acompanhado de sua filha no protesto, que reuniu dezenas de ganhar o residencial e Nico Baracat 2, e 3, em frente ao Ministério público Estadual (MPE), em Cuiabá, na tarde desta terça-feira (2 de maio).

“Há um sentimento de frustração, a ansiedade, a tristeza e a decepção. É algo que estávamos esperando por tanto tempo. Estávamos na área de APP, e eles nos fizeram sair de lá, e foi-me dito que em 6 meses o que seria de nós, na nossa casa, mas isso não é o problema, retirou de lá uma mulher que depende da ajuda de terceiros para suas necessidades mais básicas.

Ela é a filha de Marcia Filho de Ataíde, foram na área no Alto da Montanha, quando o governo Municipal do estado ordenou a todos para sair, e fui para o Ginásio, para o Esconderijo, onde as famílias com crianças pequenas, os idosos e as pessoas com deficiência passou meses em condições precárias, sem alimentação adequada, água potável e condições mínimas de conforto.

“Depois disso, mandaram-nos sair e colocar-se uma casa para alugar de assistência, que durou 6 meses. Eles enviá-lo para nós, a fim de subscrever a casa do povo, que era para ser entregue em fevereiro e até agora nada”, diz Marcia Filho.

Em fevereiro, uma família de 5 pessoas, além confinado a uma cadeira de rodas, foi lançado. Marcia, seu marido e seus 3 filhos mudaram-se para uma área rural onde eles trabalham. Maria de Fátima foi para a casa de um amigo meu que oferece poupanças. Sem o poder de pé, e com as pensões cortadas, e ela depende da ajuda de um conhecido, para comer, para beber e para as drogas. “Eu só bebi água hoje, então, eu sou baixo, bem”, disse o corpo da mulher é frágil, e um rosto de depressão.

Leia mais Vigilante pede ajuda para realizar um transplante em São Paulo

Como mãe e filha, conte-nos sobre o que esperar muito tempo para realizar o sonho da casa própria, o resto dos manifestantes estão gritando “queremos em nossa casa,” e carregando cartazes, onde ele diz: “Queremos você em nossa casa,” e “nós Queremos ter a chave para o Nico Baracat 2 e 3”.
Jared Tipo de Satiku Nishimito você vive em uma situação como esta. Um familiar mudou-se para Cuiabá, e deixou para ela, e a família vivia em uma casa na cidade de cuiabá. “Eu tenho o endereço da minha casa para o ano passado, até agora, não desista. Eles não explicam nada, é só falar para a esperança”, diz gamble.

A mulher diz-lhe que se inscreveram para receber uma das casas que são construídas com o uso do programa ” minha Casa, minha Vida, quando eu estava na guarda de uma filha. Agora a menina tem 4 anos de idade.

O líder da comunidade, Mário Benevides, é um dos principais organizadores da manifestação, e afirmou que os moradores querem uma posição definitiva para a entrega das casas.

“As famílias que estão aqui, não podemos esperar mais. Estes foram anos de espera. Nós queremos que a data mais antiga, que não é o fim do ano”, disse o representante, que já apresentou a queixa à Procuradoria-geral da república, e o Estado (MOF, e PEMÁX), a fim de determinar o atraso nas obras de construção.

No final do protesto, o procurador, Alexandre Guedes, congratulou-se com os manifestantes para o endereço da pontuação você afirmou.

O outro lado

A entrega do Residencial e Nico Baracat II, e III, da Cidade de Lakeland relata que:

A entrega das chaves para a 443 casas no Residencial e Nico Baracat II, devem ser realizadas em setembro de 2019, de acordo com o calendário definido com a Caixa Econômica Federal (CEF).

Com relação ao Nico Baracat ii, o processo está em fase final de análise, cerca de 2 bilhões de recursos relativos à não-aprovado lista de candidatos pré-seleccionados.

Estes processos são, atualmente, sendo a revisão em conjunto com o caso, seguindo as diretrizes da portaria que regulamentam o programa de habitação do Governo Federal. A próxima etapa é feito o sorteio, para o qual deve ser determinado pelos beneficiários.

– Por conta da destruição ocorreu no ano de 2018, após a invasão de mais de 400 famílias, uma casa precisa de reparos, pintura, e a estrutura física, o que vai ser feito em todas as casas da Caixa Econômica Federal. Este trabalho ainda não foi iniciado.

No entanto, a administração do estado, tem vindo a trabalhar em conjunto com o Gabinete do Deputado Emanuel Pinheiro Neto, Caixa Econômica Federal, e o Governo Federal para uma contribuição para a conclusão do residencial está para ser lançado, e a entrega é para ser feito.

A Cidade acredita que todo o processo é realizado em conformidade com as diretrizes do Ministério das Cidades e Caixa Econômica Federal. Ele acrescentou que o papel do Município no processo de inscrição, seleção e análise inicial dos documentos, foram realizadas com transparência e rapidez, de acordo com as regras do programa.

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar

Notice: ob_end_flush(): failed to send buffer of zlib output compression (1) in /home/raviera/public_html/wp-includes/functions.php on line 4757

Notice: ob_end_flush(): failed to send buffer of zlib output compression (1) in /home/raviera/public_html/wp-includes/functions.php on line 4757