Clientes Se Unem a Processo Contra a Volkswagen Na Alemanha

Montadora manipulou as emissões de poluentes em 11 milhões de veículos no escândalo conhecido como "Dieselgate".

Proprietários de automóveis Volkswagen com motores manipulados se uniram ao processo contra a gigante automobilística na Alemanha .

Recordamos que nos Estados Unidos da América, o grupo alemão foi forçado a compensar todos os clientes afetados pelo Dieselgate.

A base para este processo reside no facto dos proprietários de modelos equipados com o motor EA189 turbodiesel, lamentarem a rápida depreciação dos seus automóveis.

Além disso, aproveitaram o facto do Governo alemão ter alterado a lei das emissões poluentes, especialmente, no NOx.

A vzbz reclama que os modelos afetados são mais poluentes e menos eficientes do que o anunciado na época.

Do lado da Volkswagen, a reação não se fez esperar.

Segundo um porta voz do grupo alemão, os queixosos “têm de provar que, na realidade, sofreram alguma perda ou dano devido a esta situação.”

Ou seja, segundo esta linha de raciocínio, os queixosos vão ter de provar que eventuais danos existentes não são derivados da quilometragem ou da utilização após o tempo decorrido desde a compra.

Além disso, a Volkswagen lembra que apesar das novas regras alemãs, cada caso está dependente dos consumidores estarem preparados para instaurar processos individuais reclamando um montante específico de danos por sua conta e risco, sabendo que se perderem terão de gastar bastante em custas.

Embora se tenha tornado mais simples instaurar processos judiciais em grupo na Alemanha, o prazo de prescrição para indemnização, no caso do Dieselgate, termina no final deste ano.

Será um processo subsequente que determinará quais os danos, se os houver, que a Volkswagen terá de pagar.

Exatamente 372 mil donos de automóveis tem registro aberto desde o fim de novembro (2018), informou à AFP um porta-voz do organismo.

A associação alemã de consumidores VZBV deu entrada com esta ação na Justiça em novembro passado no tribunal de Brunswick, a poucos quilômetros da sede da Volkswagen.

Escândalo de manipulação

Em 2015, a empresa admitiu ter manipulado 11 milhões de veículos – 2,4 milhões deles vendidos na Alemanha.

A associação foi criada quando entrou em vigor um novo procedimento jurídico coletivo criado após o escândalo do “dieselgate”.

O procedimento deveria dar lugar a um primeiro grande julgamento iniciado por consumidores no contexto deste escândalo.

O objetivo dos demandantes é demostrar que a Volkswagen prejudicou deliberadamente seus clientes mediante a instalação de softwares que faziam o veículo parecer menos poluente do que de fato era.

Por isso, os demandantes exigem uma indenização por danos e prejuízos.

Uma decisão positiva do tribunal sobre o princípio de compensação abriria caminho para processos individuais de indenização financeira por parte da fabricante.

A Volkswagen afirma desde o começo que este processo “não tem fundamentos”.

Facebook Comments

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar