Geral

Endividamento das famílias brasileiras atingiu o maior nível desde julho de 2013, e uma nova A7 Jornal de Escolha

O tempo médio de comprometimento da dívida foi de 7,0 meses), e 24,7% são comprometidos com dívidas de até três meses, o Jornal Opção do Jornal Opção

Foto: foto: foto: Marcos Santos/USP Imagens

A Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic), da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), mostra que, em junho, subiu para o sexto mês consecutivo, o percentual de famílias brasileiras endividadas, alcançando o mais elevado nível de endividamento a partir de julho de 2013.

A dívida aumentou de 0,6 pontos percentuais em relação a maio, enquanto que no ano-a-ano — com junho do ano de 2018, o crescimento foi de 5,4 pontos percentuais. Apesar do aumento do endividamento das famílias, que chegou a 64,0% Peic identificou uma diminuição no número de famílias com dívidas ou contas em atraso, tanto na comparação mensal e anualmente.

O presidente da CNC, e José Roberto Tadros, apesar da alta sucessivas percentual da dívida, e o compromisso com o meio-renda para o pagamento da dívida manteve-se estável em comparação com o ano de 2018, bem como o percentual de famílias que se consideram muito em dívida. “A percentagem de famílias com contas em atraso, ou na dívida, ele apresentou o primeiro corte do ano, e, em junho, uma queda em relação ao ano de 2018”.

Para Tadros também é possível notar uma melhora no perfil da dívida, uma fatia maior do crédito, que oferecem menor custo, prazos mais longos e as garantias associadas com o problema. “Temos visto o crescimento da dívida remunerada e o financiamento do carro, e o perfil da dívida, tipo de dívida, você tem um menor risco de não-pagamento”, disse ele.

O cenário reflete as condições ainda são favoráveis taxas de juros e períodos de tempo, mostrando uma significativa melhora no perfil da dívida. A proporção de famílias que declararam que eles não seriam capazes de pagar suas dívidas e manter em dívida manteve-se estável na comparação mensal (em 9,5%. Ano-a-ano, as famílias foram menos otimista sobre a capacidade de pagamento, com um aumento de 0,1 p.p. um. em relação a junho, de 2018 (9,4%). O nível de endividamento

A proporção de famílias que têm muito o endividamento aumentou nos meses de maio e junho de 12,9% para 13,0% dos domicílios. Já, no ano-a-ano, tem havido uma certa estabilidade. Também aumentou a proporção de famílias com mais ou menos em dívida, de 22,4% para 23,1%, mas o foco está em ascensão entre aqueles que têm um pouco de dívida, de 23,2% para 27,6% dos domicílios. O tempo e o de renda é comprometida com a dívida

A quantidade média de tempo a partir do compromisso das dívidas entre as famílias com dívidas foi de 7,0 meses), e 24,7% são comprometidos com dívidas de até três meses; e 32,1% para o ano. Entre as famílias com dívida, a parcela média da renda comprometida com a dívida, manteve-se estável no ano-a-ano, 29,5% no primeiro semestre de 2019, e 21,1% deles relataram que eles tinham mais da metade de sua renda mensal comprometida para o pagamento da dívida.

O post o Endividamento das famílias brasileiras atingiu o maior nível desde julho de 2013, apareceu pela primeira vez no Jornal da Escolha.

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar

Notice: ob_end_flush(): failed to send buffer of zlib output compression (1) in /home/raviera/public_html/wp-includes/functions.php on line 4757

Notice: ob_end_flush(): failed to send buffer of zlib output compression (1) in /home/raviera/public_html/wp-includes/functions.php on line 4757