Geral

O governo está considerando a possibilidade de subsidiar a conta de luz de uma grande igreja AQUI

A pedido do presidente, Jair, bolsonaro, o Ministério de Minas e Energia para avaliar alternativas para subsidiar a conta de luz das grandes casas de adoração. Na pasta, confirmou que ele é um “estudando o assunto”. Uma minuta de decreto, um tipo de documento, foi elaborado e apresentado ao Ministério da Economia, que é resistente à ideia, como isso vai contra a agenda reformista do primeiro-ministro, Paulo Guedes, que defende a redução deste tipo de benefício. Este foi antecipada na sexta-feira no jornal O Estado de S. Paulo.

A intenção do governo de reduzir a conta de luz do consumidor para o aumento da demanda, que está conectado a uma voltagem elevada, como as basílicas e catedrais, e que eles pagam tarifas mais caras, no chamado horário de pico, precisamente quando há alguma comemoração religiosa. O objetivo é ser o mais caro, demorado, a ser cobrado no restante do dia. As horas de pico variam de acordo com cada indivíduo distribuidor, mas não vai durar três horas entre o fim do dia e à noite e nos dias de semana.

Apesar de ser direcionado a todos os lugares de culto, o principal objetivo da medida é no evangelho, e com um banco, que é uma das principais bases de sustentação para o governo do bolsonaro. Em uma entrevista com a VISTA, o bispo Robson Rodovalho, fundador da Sara Nossa Terra, diz que o presidente é “dar uma real importância para as igrejas”, e que uma bolsa dessa natureza não tem sido discutido anteriormente pela “falta de vontade política”. “As igrejas sempre foram negligenciados por preconceito,”, disse ele. No caso do Saara é a Nossa Terra, a conta que você usar geradores são adequados para o condicionador de ar, além das lâmpadas, LEDs e automática. “estes São apenas alguns dos templos são de grandes dimensões e uma nota pessoal, eu acredito que o impacto geral sobre a economia poderia ser pequena”, disse ele.

Sócio-fundador e diretor do Centro Brasileiro de Infraestrutura (CBIE), Adriano Pires, que não concorda com a medida. “tem havido muitos, é míope. Não dá para governar como um refém do interesse do grupo, porque o tempo vai ser na igreja, e a outra está no caminhão, os outros fabricantes de automóveis”, diz Pires, que é um especialista no setor de energia. Ele reforça o valor do que o templo teria deixado de pagar, ele teria que ser assumido por outros consumidores. “É importante lembrar que a economia é um jogo de soma zero. Se não pagar, o outro paga para os dois. E, como para o governo, ver, por exemplo, quem é que vai subsidiar o poder das igrejas, e não existem escolas ou hospitais?”, ele acrescentou.Publicidade

Se você prosperar, então este não é o primeiro-toque-de-bolsonaro da comunidade com o evangelho. Com a aprovação do presidente da república e o Congresso aprovou, no ano passado, um projeto que garante benefícios fiscais para as igrejas, para 2032, e, através de um decreto, libertou o templo para a realização de adaptações para garantir a acessibilidade nas áreas do altar e o batistério. Além disso, em julho, declarou a sua intenção de nomear um presidente de “terrivelmente no evangelho” o Supremo Tribunal Federal (STF). A conta do LuzEnergiaEvangélicosJair bolsonaro

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar

Notice: ob_end_flush(): failed to send buffer of zlib output compression (1) in /home/raviera/public_html/wp-includes/functions.php on line 4757

Notice: ob_end_flush(): failed to send buffer of zlib output compression (1) in /home/raviera/public_html/wp-includes/functions.php on line 4757