Geral

O governo vai alterar os Médicos novamente e voltar para dois – Notícias – R7 Brasil

Cerca de 700 médicos estão em boa posição Pixabay

O governo federal planeja lançar em agosto e uma medida provisória alterando o Programa em Mais Médicos e reincorporando profissionais em miami.

Eles tiveram que sair do programa com a quebra do acordo de cooperação entre Brasil e Cuba, mas o plano é voltar ao trabalho na atenção primária do sistema único de saúde-SUS (sistema único de Saúde), por um período de dois anos. O termo do limite de tempo, você terá que manter-se o ato.

Estima-se que 2 milhões a 8 milhões de profissionais que vieram para o Brasil, ficamos aqui no final do acordo, muitos na esperança de ser re-admitido no sistema único de saúde-SUS. Cerca de 700 médicos estão em boa posição, porque eles estavam no brasil. Os dois únicos que trabalharam os Médicos, e eles permaneceram no País, teriam direito à reintegração, por meio de uma acreditação.

O projecto da nova proposta será apresentada aos legisladores ainda esta semana. A agenda também prevê discussões com os secretários de estado e de cuidados de Saúde locais. O objetivo é ter um projeto bem definido, não dá origem a um desgaste normal, e você tem um “fast-track” no Congresso.

Enquanto muito da proposta é alinhavada, ainda há alguns pontos para ser definido. Entre eles está o nome do programa. A avaliação do governo é que os Médicos se transformou em uma marca do governo de Dilma Rousseff.

A iniciativa foi lançada em 2013 como uma resposta aos protestos de rua do ano, e também as declarações feitas pelo prefeito. Eles se queixaram da dificuldade em manter os profissionais que trabalham em áreas remotas.

Além da garantia da estação de preenchido, o programa vai trazer outros benefícios para a gestão: alívio no orçamento. O salário dos profissionais foram pagos integralmente pelo governo federal. Ele foi até os municípios para pagar o custo do quarto e do conselho para a profissão.

Uma violação do acordo de cooperação, e, em novembro, foi a iniciativa de Cuba, em resposta às críticas feitas pelo então presidente eleito, a Jair bolsonaro. O presidente chegou a comparar a profissionais que vieram para fazer negócios no País do escravo. O programa de governo apresentado o processo político, o candidato afirmou que ele iria encontrar uma solução para todos os profissionais que foram chamados de “irmãos”.

O acordo de cooperação foi realizada em parceria com a organização Pan Americana da Saúde (Opas). Para o conjunto, e o pagamento para os profissionais, que foi entregue ao governo de Cuba, que tem permeado parte do profissional. A explicação era a de que o pagamento foi realizado na ilha, para financiar os benefícios previstos para os profissionais.

O objetivo do acordo de colaboração, anunciada em novembro, várias tentativas têm sido feitas para o preenchimento das vagas, com médicos brasileiros se formou no Brasil e na outra fase, os brasileiros são formados no exterior. Mas os prefeitos e governadores estão dispostos a admitir que o vazio de cuidados de continuar a persistir. Os médicos atender as chamadas, mesmo que você se mova para as vilas e cidades que você escolheu, mas, depois de um curto período de tempo para cair fora da estação, em troca de pontos que estão mais próximos dos centros urbanos.

Carreira

Para tentar atrair o interesse de médicos brasileiros, um novo programa, ele deve ser atribuído a um curso de formação. Todos os profissionais, você terá que fazer testes ao longo do tempo. No fim do prazo, eles vão ser um especialista em um médico de família e comunidade. A idéia é construir uma carreira para o brasileiro, treinados no Brasil e em todo o mundo. Quando você participar do programa, eles têm que ir para as mais remotas regiões. E, para garantir que a sua estadia seria um bônus. Com o passar do tempo, você terá a oportunidade de ir para áreas mais próximas aos centros urbanos.

O redesenho é também deverá levar a mudanças na relação de aspecto do programa. Desde que assumiu o cargo de ministro de estado da Saúde, Luiz Henrique Mandetta diz que na iniciativa, e tem uma dimensão muito maior do que a real necessidade. O primeiro-ministro disse que, enquanto ele é projetado para trazer de profissionais em áreas de necessidade, e o Mais Médicos estabeleceram também nas principais capitais do mundo. Na luz desta análise, a reintegração de aberturas foram feitas de uma forma controlada. E em várias áreas metropolitanas, têm sido deixados sem a nível profissional.

Isso, no entanto, pode ser revista e posições vai ser cheio e onde há bolsões de pobreza, se a região é central, ou retiradas. Os critérios para o preenchimento deve ser mais semelhantes aos usados quando o programa é iniciado. Para o cálculo de pessoal técnico do ministério, serão usados pelo jornal O Estado de S. Paulo, a nova opção, cerca de us $ 3,6 bilhões para os municípios seria um profissional.

‘Este é o meu sonho”

A possibilidade de reintegração, ele é comemorado por cubanos. “Este é o nosso sonho. Queremos trabalhar, voltar a servir a população”, disse o médico, Niurka Valdés. Alguns meses atrás, e o povo a se unir em uma associação para lutar por um retorno ao programa. Hoje, é 1.869 chamada Aspromed. Como o Estado mostrou em um relatório, em abril, que muitas das pessoas que sobrevivem na economia informal, fazendo bicos nas lojas de varejo, a venda de comida nas barraquinhas na rua. Niurka tive sorte o suficiente para fazer trabalhos de escritório em um hospital no Oeste da Cidade, a cerca de uma hora e meia de Brasília, brasil.

O fato de que a proposta será temporário, não tira o entusiasmo do grupo. “Uma vez concretizada a proposta, poderemos exercer um curso para Revalidar todo o povo cubano,” ela diz para o médico. “Vamos investir. Não queremos fugir do revalida”, diz ele. O grupo durante vários meses, aguardando a ajuda do governo brasileiro. Quando Cuba anunciou que até o final do contrato para o fornecimento de médicos no Brasil, que era então o ministro da Saúde, Gilberto occhi, ele disse que o profissional que decide ficar no País, o que não seria vulnerável. Ajuda ainda não chegou.

A proposta é fazer uma reintegração, temporário e a longo tempo, ele é avaliado pelo gabinete do ministro de estado da Saúde, Luiz Henrique Mandetta. Mas o problema sempre foi cercada de cuidados, em particular, de modo a não criar animosidade com as instituições de saúde. Uma das principais preocupações da pasta é para garantir que a concessão é feita para os profissionais, os cubanos podem dar origem a outros médicos especialistas, bem como, formados no exterior, eles querem o mesmo tratamento.

Por isso, não há um controle para que apenas os profissionais em miami, que trabalhava no programa, e conduziu todos a formação e capacitação são re-admitido por um período de tempo específico. Seria uma espécie de “renovação de reflexão tardia” do contrato. Quando os profissionais e os cubanos chegaram ao País em 2013 para o trabalho com os Médicos, e a idéia era que eles iriam ficar apenas por um período de até três anos de idade. No final do prazo, no entanto, o governo aprovou uma medida que prorroga por três anos de residência.

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar

Notice: ob_end_flush(): failed to send buffer of zlib output compression (1) in /home/raviera/public_html/wp-includes/functions.php on line 4757

Notice: ob_end_flush(): failed to send buffer of zlib output compression (1) in /home/raviera/public_html/wp-includes/functions.php on line 4757