Geral

O grito do Brasil do bolsonaro: pai, não!” | ASSISTIR

Por Juan Arias,

No momento em que o Brasil tem uma das mais baixas no cenário mundial por um Governo de extrema-direita com as decorações nazifascistas, é nosso dever realçar isso porque uma surpreendente reação de todo o país, e de todas as suas instituições, incluindo o militar, contra o escorregamento da natureza da era nazista, o secretário de Cultura do Governo de Roberto Alvim, que cruzou a linha proibida a cópia das palavras do ritual, o ministro da Propaganda de adolf Hitler e Joseph Goebbels. O presidente da extrema-direita, jair bolsonaro, ele foi cercado por um deles nacional, e ele não aguardar 24 horas para remover o seu ministro, um amigo.

Desta vez, os liberais que o apoiaram bolsonaro, para derrotar Lula e o PT para reagir contra os arroubos os nazistas, o secretário de Cultura do Governo. Foi um grande teste para ver se mobilizou imediatamente, ele não é apenas o mundo da cultura e da ciência, e de todos os partidos democráticos, incluindo o Governo liberal, bem como todas as instituições do Estado, incluindo o Congresso, o Senado, e o u.s. Supremo tribunal federal, juntamente com as principais associações civis, tais como advogados, promotores e juízes, e dezenas de instituições democráticas, bem como na imprensa nacional, a qual informou que o Governo tinha cruzado uma linha vermelha em uma democracia.

Desta vez, houve uma reação da esquerda contra a ultradireita. O protesto ultrapassou todos os partidos políticos e suas ideologias, para ser a gritar no país em qualquer coisa que tem uma referência para o nazismo hitleriano dos campos de concentração e do Holocausto.Publicidade

Há apenas um ano, tenho avisado do perigo que seria de se mudar para um estado de pré-nazista e pré-fascista, após a chegada do furacão de bolsonaro, com seu ódio de todos os diferentes, a exaltação do nacionalismo, a natureza do nazismo e do seu slogan “o Brasil é, acima de tudo, copiado desde os tempos do nazismo: “a Alemanha acima de tudo”. E as tentativas de criar uma teocracia evangélica e na substituição do Estado laico, bem como de uma cultura e uma educação que está incorporado nos valores dos militares de volta para a idade média.

Desta vez, uma parte do Governo, tinha preocupações sobre o arroubos os nazistas, o bolsonaristas que são mais rigorosas. Como mostrado, por exemplo, é a satisfação de que o general de Exército Augusto Heleno, que faz parte do Governo, e é um dos assessores mais próximos do Presidente, e que ele, também, tinha flertado com as medidas pontuais no caso do Brasil, se você se transformar em uma nova república do Chile. Helénica, desta vez, após o deslizamento da era nazista, o secretário de Educação, comentou sobre a reação positiva do Brasil. Ele veio para louvar a resposta da sociedade com estas palavras: “grande e até emocionante a reação de intelectuais, artistas, historiadores, professores, estudantes, militares, e a Nação como um todo, e o infeliz resgate dos pensamentos do nazismo”. Mas ele acrescentou que “mostra um lado de confiança e o carinho do povo, a democracia e as liberdades individuais”. Até mesmo o importante militar considerou que o Governo deveria estar falando para a barbárie.

A reação democrática da sociedade brasileira e de todas as instituições do Estado, as tentações dos nazistas e os fascistas começaram a levantar a cabeça nos vários níveis de Governo é essencial. O perigo de uma involução, na verdade, não há, como vemos, a vinda de mais e mais saudades dos tempos da ditadura, que levam a bolsonaro para tomar medidas drásticas, e intriga, quando, de acordo com eles, o Congresso e o Supremo não se curvam aos seus caprichos regimes autoritários. O fato de que o Brasil é dizer não a essa loucura, o que significa um aumento de esperança, na defesa dos valores democráticos.

E não foi por acaso que você foi em uma delicada e importante campo da cultura do lugar onde os brasileiros de todos os credos disseram não à tentação de o Governo ter lugar no Brasil, é a única maneira de construir e ensinar, fazer arte, e que o perigo de um fechado o direito à liberdade de pensamento. Para os brasileiros, bem como de hábitos e de costumes, não aceita a imposição de um único tipo de cultura, muito menos a partir da natureza da coisa.Publicidade

O brasil, historicamente, estamos acostumados a uma grande diversidade de educação, que vem da mistura de todas as expressões das correntes em mais de forma livre e fazer uma cultura e que tem em seu sangue. Não é por acaso, é uma das pessoas com as tradições populares, mais e mais forte, e crescente para quase renunciar, ainda mais em prol de um livro.

Esta é uma reação que é inesperado e feliz, na sociedade brasileira, as tentações dos nazistas, alguns dos ministros no Governo, e o presidente, ele abre um caminho de esperança para os democratas, de coração, amantes da liberdade, seja ela de direita e de esquerda, porque é apenas em um corpo físico, que é o da democracia, a construção de uma sociedade livre e para ser feliz. No Brasil, de fato, o peso da escravidão, que nunca são abordados deixou cicatrizes profundas da desigualdade e da dor da discriminação racial, que dura até os dias de hoje.

Esse tempo, felizmente, parece como se o Brasileiro tivesse sido despertado para dizer não para os bárbaros, e dar-lhe o conselho de que tudo tem um limite, e não importa se ele governa para a direita, para a esquerda, do centro, mas não os filhos de safados do conteúdo de campos de extermínio.

A reação da sociedade brasileira em que o abuso do nazismo, que era o povo quem deve relógio para as liberdades que defendem ou criar a cultura em geral, e sem quaisquer marcas ou ideológica, não é, no entanto, fazer-nos dormir sobre os louros. É verdade que a reação imediata do presidente sobre a demissão do secretário de Cultura, algo que a maioria dos protestos, não teria sido capaz de, você não pode deixar-nos totalmente à vontade. Bolsonaro visto que todas as forças vivas estavam contra ele, e ratificavam não querem andar nos corredores da morte do pai, e em que tempo, reagiu rapidamente e sem hesitação. Isso não quer dizer, no entanto, que você já se arrependeu de que a política é racista, que ela está inserida. Não foi uma conversa. Ele foi obrigado pelo grito de uma sociedade que começa dizendo: “Aqui, nós não estamos indo”. E agora sabemos, também, que ele seria o esperado para decidir sobre o pedido de demissão do secretário de Cultura. Eles estavam nas forças armadas e no Governo, do qual foi ordenada a não esperar, nem mesmo por uma hora.Publicidade

Você acha que bolsonaro pode alterar, que é, na verdade, é uma vã utopia. Adolf Hitler não foi alterado, o presidente gosta de imitar o seu idioma ou até mesmo no cabelo. Quem precisa manter a sociedade e suas instituições, para que eles possam continuar a deter a você quando você tenta pisar as liberdades e mover-nos a todos para o túnel escuro de autoritarismo. É claro que ele não vai mudar. Para seu desgosto e desprezo pelo diferente, como no tempo de Hitler, desta vez começando com a descida, que chegou a dizer que, depois de uma visita a um esconderijo: “o mais leve, ele pesava sete arrobas. Você não faz nada. Eu acho que eu não gosto procriadores eles são”. Ele não oferece suporte a diversidade de gênero, e já avisou que prefere um filho morto do que vê-lo entrar na casa com um bigodudo”. Ele não oferece suporte a todas as mulheres, e mesmo se ele lamenta o fato de que os pais de cinco filhos, o último nascido para a esposa. Os judeus foram para Hitler, para bolsonaro eles são todos diferentes, a que acrescentou o jornalista, que chegou a machucar a mãe.

Quero terminar esta coluna, move-se entre a esperança e o medo, a palavras de Reinado Azevedo, que escreveu que ” não podemos dormir, mas bolsonaro, que, terrível, terrível paradoxo, revela um amigo dos judeus, que os nazistas de Hitler os judeus eram, hoje, no Brasil, eles são negros, mulheres, pessoas Lgbt, povos indígenas, jornalistas, e quem não se ajoelhar na frente dele.

A empresa brasileira, e deu seu primeiro grito. Se ele ainda estiver em fúria iconoclasta contra os valores da democracia, da parte de trás da liberdade de ação e de pensamento que são aqueles que têm criado um dos melhores e mais livre sociedades no mundo, segundo um grito poderia ser, “que é o suficiente!”.

O Brasileiro pode ser, e ainda é no momento. Amanhã pode ser tarde demais, e nada adianta chorar lágrimas de crocodilo. Se isso já foi dito, um dia, em Paris, vale a pena se perder.para o Brasil, com tantas ou mais razões pelas quais o bem a pena com este contra os maus sonhos que você deseja impor uma carga excessiva tentação de assassinato e o manejo da cultura e a liberdade.Publicidade

Mais do que isso, o tema bolsonarista dos “estados unidos, acima de tudo, o que precisamos é de um país que é de todos e para todos, que ninguém vai sentir superior, e rejeitou-a, ou ela não será de mais ninguém. E então, no restariam somente no chão.

(Retirado do jornal El país)

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar

Notice: ob_end_flush(): failed to send buffer of zlib output compression (1) in /home/raviera/public_html/wp-includes/functions.php on line 4757

Notice: ob_end_flush(): failed to send buffer of zlib output compression (1) in /home/raviera/public_html/wp-includes/functions.php on line 4757