Geral

O juiz de garantia | VISTA

A VERDADE É A VERDADE…. João Vala (em o nome de É Arbustos, Clemente Rosas, sérgio Buarque, e a todos os fiéis no futuro do que eles fazem na Revista, não É?) pediu um parecer sobre o Juiz, as Garantias estabelecidas por Lei, 13.964 (a 24/12/2020), eu pensei sobre o (a acho que você precisa tentar-se;) apenas um curioso diálogo de “Alice no país das Maravilhas”:

Rainha: Você conhece uma falsa tartaruga?

Alice: eu não sei mesmo o que é, é uma falsa fé.

Rainha: É que aquele que é feito com o falso sopa de tartaruga”.

A arte de sugerir, sem explicar, o truque sem um truque, para não dizer quase tudo para quase nada, e ele é um professor em Oxford, e o maior matemático inglês do SÉCULO xix, e que foi assinado apenas pelo sobrenome, Dodgson. O autor de, entre outros, do Tratado sobre Determinantes Imediatos, ou Euclides e seus Rivais ” do Estilo. É o mesmo que a partir do ano de 1856, na literatura, tornou-se Lewis Carroll. O L e C, tais como heterônimo um anagrama imperfeito e inverteu as letras a, C, e, L, o primeiro de dois nomes, Charles Lutwidge. Assim, também, fez Charles Dickens, que escreveu David Copperfield. O autor, no CD, virou-se em seu caráter, DC. Em inglês, CL é o som proferiu em que a linguagem, em nome de sua personagem, Alice. Era para ela. Manter lembrar seu nome era Alice Liddell), um jovem amigo do autor. Seja como for, seu livro acabou sendo uma das mais citadas na literatura mundial. Mais tarde, na Bíblia.Publicidade

É como se o personagem fosse, ao mesmo tempo, ele é o oposto. Não é por acaso. O autor era um homem velho, e Alice, a mulher. É velha, ela é jovem. Ele é culto, que ela é inocente. Ele é um ministro da Igreja da Inglaterra, que é praticamente um leigo”. Ponto e contraponto. Uma tradução para o diálogo no romance, um jogo sutil e instigante linhas e entre as linhas. Deixando um vislumbre dos muitos lados de você, cada um de nós, poderia ser verdade. Tanto é assim que o livro que é a continuação, Alice Através do espelho, ele serve como uma chave para a compreensão da história. Sugerir que a verdade está do outro lado do espelho. Agora, o melhor destas reflexões literatura para abordar o tema solicitado para esta Revista. Usando o seguinte como uma tentativa de revelar a verdade real sobre o assunto. O pensamento do leitor em geral, não se iniciar nos textos jurídicos. E tudo isso a partir de uma frase proferida, frequentemente, por outro, a personagem de Alice, o Dodo, “A melhor maneira de explicar é fazer.” O DUPLO GRAU DE JURISDIÇÃO. Tudo começa com o Tratado Internacional sobre Direitos Civis e Políticos, conhecida como Pacto de San José da Costa Rica. Um texto que passou a ser a legislação brasileira, lembre-se, é um tempo muito longo. Desde o Decreto Legislativo 27/1992. E a preocupação faz sentido. Isto é, nas democracias modernas, o condenado vai para a prisão imediatamente depois do julgamento, a apenas uma Instância. Assim, nos Estados Unidos, Canadá, reino unido, Alemanha, França e Espanha. Só para lembrar de você, de todos os 193 membros da organização das nações unidas para ter a prisão em Primeira ou em Segunda Instância. Na itália e Portugal, merecem exame da parte em que alguns (muito poucos) crimes específicos para requerer em outras instâncias. Mas, como regra geral, o único país no mundo em que os criminosos não vão preso em Primeira ou Segunda Instância, e hoje, é o país do Brasil. Em 4 casos. Antes de o Juiz de Garantias. Agora, é 5. Uma coisa ou duas. Como um resultado, e a lavagem do carro, quando os ilustres membros de nossas elites políticas e econômicas começaram a ver o sol quadrado.

As prisões por aqui, lembre-se, é sempre dada em Primeira Instância. E não é só o Código de Processo Penal, de 1941, como é de costume para ler os jornais. Vai ocorrer na Segunda Instância, e, na verdade, não foi até que a Lei do Brasil (5.941/73). Em um ato bom. No meio de uma Ditadura, quem diria? Quando ele foi internado em um grau até então, apenas para o primeiro tempo infratores, e a partir de um bom plano de fundo. A idéia de que mais de uma instância, e que não há nenhuma lei, que ele não nasceu para o benefício potencial de pessoas inocentes. Mas, como a proteção do agressor é o relé. Nascendo mais tarde, mas é na Segunda Instância, como a construção do Reino.

Vamos voltar para o Pacto de San José. Em ambos não considera razoável para alguém ir para a prisão, nas mãos de um juiz. É por isso que ele proclamou ser uma democracia, e é necessário que o Duplo Grau de Jurisdição. Que é, de acordo com a palavra, o direito de recorrer da decisão de um juiz ou tribunal” (art. 8,2,4). “Tribunal”, é bom manter essa regra. Com o duplo grau, poderia ser a Primeira (Oficial), e em Segunda Instância (Tribunal de justiça). Nos Estados Unidos, a França e a Itália, e a um juiz para preparar o processo, o que é decidido pelo juiz do feito. Que é semelhante ao sistema até agora no Brasil. Como se fossem duas entidades. Sendo esta a frase, e mais tarde no trabalho do Juiz das Garantias, conforme indicado pelos juízes de Primeira Instância, isto é, com a nova lei, aprovada pelo nome do juiz de Instrução e do Julgamento. Mas não há consenso sobre a democracia, sobre ele. Tanto que você não vê algo como isto em um número de países culturalmente maduros. Sendo que ele é bom lembrar que, na Alemanha, a Holanda, a Itália e a bélgica, que já tinha os Juízes das Garantias, eles decidiram não mais mantê-los. Deu até para eles. Considerando-os como um inútil site. O DUPLO GRAU NO BRASIL. O que acontece é que um sistema como o de um Duplo grau de jurisdição, agora no lugar, não há no Brasil. E em outros países, a estrutura do poder judiciário, semelhante ao nosso. É inacreditável que isso não tenha sido dito e reiterado por parte da imprensa. A cirurgia, no Segundo Nível, pelos Tribunais. “Um juiz ou de um tribunal”, vale lembrar, como declarado no Pacto de San José.

Pela razão de que já existe uma espécie de Duplo Grau, antes da adopção de um Juiz, as Garantias, se é por causa do apelo de decisões em Primeira Instância, de Recurso, tem efeito de Suspender a decisão monocrática não, por agora, para nenhum efeito, até a decisão do Tribunal; e, também, para voltar a tomada de decisão sobre o assunto deve ser analisado pelo Tribunal). Como para os recursos subsequentes, Especiais, e de caráter Extraordinário, contra a decisão do alto Tribunal, só para ter o efeito de Retornados. Determinar se o caso é de re-examinado por um Tribunal Superior – o supremo tribunal de justiça e o Supremo. Não interferir com o convicções. Ele deve ser imediatamente levada a cabo, a fim de evitar o risco de condições. E sem ser capaz de rever as provas por conta de Resumo de 7 (do supremo tribunal de justiça), e 279 (do Supremo). O sistema não foi alterada com a promulgação da Constituição de 1988. Em um breve interlúdio (no Verão, quando alguns políticos, o que está intimamente ligada ao poder, e eles começaram a ser enviados para a prisão), e por esta razão, o HC 84.048, em 2009, ele voltou a ocorrer na Segunda Instância, o HC 126.292, até o ano de 2016 (por 7 votos a 4); movendo-se mais recentemente em Anúncios, 43, 44 e 45, no 07/11/2019), na Quarta Instância (por 6 votos a 5).Publicidade

Vale a pena explicá-lo mais lentamente. Faz tudo valer a pena. Que é que o sistema é projetado agora, o presidente da Garantia, preparando-o caso; por uma sentença final, com o Juiz de instrução e Julgamento. Foi uma inovação para o grave, e a prisão deve ser dada a esta decisão, em Primeira Instância. Como em numerosos vtela países. Se você tiver realizado nos contornos do Pacto de San José, no Segundo grau de jurisdição. “Tribunal de justiça ou Tribunal”. Como em todas as democracias, culturalmente, e maduro. No Brasil, é a decisão de Primeira Instância tem de ser re-discutido em tribunal. Você pode pedir novas provas, novos testemunhos, novas habilidades, e mais do que eles querem, no tribunal de Primeira Instância que proferiu a sentença. Da mesma forma que o Juiz de instrução e Julgamento, você pode aplicar o mesmo ao Juiz das Garantias. De uma maneira sistemática, o que foi agora estabelecido, o Juiz das Garantias atua como uma instância para a maior parte. No Quinto Exemplo, as regras de hoje. O mestre tem um Modesto de Carvalho também tem a mesma opinião. Levando a um grande número de casos em que o estatuto de limitações. Especialmente no caso de um réu que não podem pagar advogados caros. Você tem a compulsão de usar todos os recursos que estão disponíveis no Código de Processo Penal. Muitas, muitas, muitas vezes.

As implicações práticas de um tal sistema de resultar em devastador, na luta contra o crime. Acima de tudo, porque não é necessário. Como se pode ver a partir da recente revisão do Escritório de Gerenciamento de Informações (01/01/2009 à 19/04/2016) no superior tribunal de justiça. Absolvição pelo superior tribunal de justiça, são apenas 0,62% do tempo. E, o u.s. Suprema corte, com apenas 0,035%. Mais uma vez, a 0,035% do tempo. Só 9 de absolvição no 25.707 recursos. Montagem, mesmo em tal caso, a fim de corrigir possíveis injustiças, o uso do Habeas Corpus. Especialmente quando do julgamento anterior afronte, a jurisprudência dos Tribunais Superiores. E não há dúvida de que, em raros casos, os réus podem ser absolvidos. Longe disso. Eles quase sempre dar em tais casos, em razão da prescrição ou over-the detalhes são puramente formais. Como uma limitação sobre os direitos da defesa. Sobre a tragédia que vai ser uma mudança no entendimento dos poucos absolvições, eu vou passar a palavra ao Luiz Roberto Barroso: “a todo o sistema de justiça e as taxas de juros em uma paralisação para o atraso e ineficiência, a fim de produzir esse resultado, há uma opção que não é em qualquer teste de razoabilidade ou racionalidade.” E então, para o momento, no presente estado de nosso Reino. QUAL É O PAPEL DO JUIZ DE GARANTIAS? Mas, novamente, se isso aconteceu, qual é o papel do justo Juiz de Garantias? A resposta é simples. Para impor mais de uma autoridade, em benefício dos réus. Aquele que comete um crime. Porque suas atividades que foram, estão exercido pelos juízes do tribunal de Primeira Instância. Considerando que os estados membros das nações unidas, todos nós, acho que em uma ou duas instâncias, como no Brasil, que já tinha quatro, e agora o juiz, em cinco etapas. Nossos deputados e Senadores realizar esta façanha. O Presidente da República, que tem um filho que está sob investigação (27 Criminal do tribunal de justiça do Rio de janeiro, com o juiz Flávio Itabaiana de Oliveira Nicolau), não é barrado na água. É lamentável.

Os problemas começam desde a sua implementação. Com base em dados do Conselho Nacional de Justiça, o conselho nacional de justiça (como confirmado pela Associação dos Juízes Federais – AJUF), você pode ver que, no Brasil de hoje, ele trabalha com a 18.100 um juiz. Um défice de cerca de 4.400 vagas. Dos mais de 2.700 condado de Justiça do Estado, 1.800 ter apenas um juiz. Para não mencionar os muitos que não têm um único Juiz. Até a atual regra para ser o mais alto salário no país, o primeiro-Ministro, o Supremo (em R$ 39.293,32), o salário médio de cada juiz de um estado é muito maior, no montante de R$ 47.400,00. Uma semana, dizem muitos. Como você precisa tê-los imediatamente mais de 1.800 novos juízes para o tribunal. Em suma, não há estrutura para que ele funcione. E o custo vai para a estratosfera. Qual é o ponto? Aqui eu me lembro de um poema de Ascenso Ferreira (Gaúcho),

“Através de cavalos!Pronto para o spurs!Através das cochilhas!Fora-da-minha-pago-em-traço louco!— Qual é o ponto?— Para nada!”Publicidade

E, então, a resposta para o problema encontra-se na literatura que espelha a vida. Ele vai servir, que é o ponto? Para nada! OS PROBLEMAS TÉCNICOS. Os jornais têm ido para o oeste dos enormes problemas técnicos que terá lugar na implementação da Lei. Elaborar para o efeito, evidentíssimo, em particular, em benefício dos réus. Apenas para referência, aqui estão alguns breves pontos: Art. 3–B; XV -:, Pelo que a investigação vai ter acesso a todas as provas produzidas no contexto de uma investigação criminal”. Mesmo antes da conclusão do inquérito. A abertura com uma ampla gama de possibilidades para a defesa no Art. 3 (B), § 2, afirmando que a investigação pode ser estendido para “apenas uma vez” e “por até 15 dias no máximo. Depois, a prisão será imediatamente relaxada”. Por nenhuma razão aparente para isso. Sendo previsível é um número enorme de investigação, que vai ser lançado muito antes do que é o caso hoje. Art. 3 C, 2º parágrafo. Aqui, a permissão para transcrever todo o artigo: “a investigação está preso, o juiz das garantias poderá, mediante representação da autoridade policial e ouvido o Ministério Público, poderá prorrogar, uma única vez, para a duração do inquérito por até quinze (15) dias, após o qual, se a investigação não for concluída, a prisão será imediatamente relaxada”. O que significa que no caso de haver mais tarde evidências que podem ser produzidas, e não será mais ser capaz de ser aproveitado no processo. Apreciando, sem nenhum motivo para alguém que faz um crime.

O FINAL. A Associação dos Magistrados Brasileiros da área metropolitana iniciou uma Ação Direta de Inconstitucionalidade – ADIN, contra, conforme, no 27/12/2019. A base é a de que “a jurisdição é una e indivisível”. Com uma “violação do princípio do juiz natural (CF, art. 5 (III)). O Ministro Fux, que é o dia 20 de janeiro, deve assumir o dever do u.s. O supremo tribunal vai decidir se a conceder uma liminar suspendendo a sua execução até o julgamento da QUESTÃO pelo Tribunal. Os jornais dizem que você já demonstraram ser contrários à regra geral. Mas dificilmente você vai ser capaz de fazer isso para o Reino. Afinal, é (pelo menos por um segundo, eu acho), de uma regra de procedimento e prova. Da competência do Congresso. E o final nunca vai considerar o Juiz Colateral da política.

Em resumo, o novo juiz é que vai ser um atraso na luta contra o crime. Especialmente na corrupção. O professor, o argentino, Alberto, Fichário acredita que a nova regra é, “um inimigo da reforma”, isso é verdade. É por isso que não houve nenhuma discussão sobre o assunto, a câmara dos representantes. Nenhum especialista nunca ouviu. Nem são os órgãos de classe, advogados ou juízes. Apenas uma pequena parte da câmara dos Representantes votou. Uma câmera que é, de acordo com o jornal, você tem 284 Mps processado ou investigado. Provavelmente apenas uma coincidência. Que Deus nos proteja. No encerramento, e apesar de tudo isso, mas eu prefiro usar as palavras do passado. No sentido de que, em um dia, você pode ser capaz de mudá-lo. Eu espero que vai mudar ainda. Para sonhar que dias melhores virão. E, como começou a este breve ensaio com Alice, boa para o final também com ela. Quando ele diz que você quer que ele seja. Depois disso, ele disse: “No final do dia eu estava sonhando. A não ser… a não ser que… todos nós somos parte do mesmo sonho.”

José Paulo Cavalcanti Filho

[email protected]

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar

Notice: ob_end_flush(): failed to send buffer of zlib output compression (1) in /home/raviera/public_html/wp-includes/functions.php on line 4757

Notice: ob_end_flush(): failed to send buffer of zlib output compression (1) in /home/raviera/public_html/wp-includes/functions.php on line 4757