Geral

O ministério da Agricultura proíbe a venda de 6 marcas de azeite – Cidade – R7 Gazeta Digital

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento proibiu a venda de seis marcas de azeite depois de a auditoria ter encontrado os produtos são fraudulentos e impróprios gastos. Os produtos falsificados eram uma mistura de óleo, sem o azeite.

Leia mais – Máfia prisioneiros, mudou-se para 40% da cocaína na Europa

A marca de Oliveiras, de Contagem, as Atividades da Fazenda, Fazenda D’oro, Évora, portugal, Costanera e Olivais para o Porto estão a ser tomadas a partir das prateleiras dos supermercados e atacados de todo o país para esta segunda-feira (8).

Aqueles que são responsáveis por marcas que são Rhaiza do Brasil, Ltda., um Distribuidor Mundial e Comercial da Quinta da Serra, Ltda. A A7 foi procurado por essas empresas, mas não pode conectar a publicação do relatório.

De acordo com a determinação do ministério, os varejistas e os atacadistas que tem os produtos são fraudulentas deve apresentar um relatório sobre o estoque existente, sob pena de multa emitida em caso de falha de informação.

Os dealers, que são pegos vendendo as mercadorias, após aviso, deverá ser comunicada ao MPF (Ministério Público Federal), que foram enviadas para a Polícia e uma multa de us$ 5 milhões por ocorrência, com um aumento de 400% sobre o valor de mercado do petróleo.

Além disso, de acordo com o ministério, e o monitoramento do Mapa é encontrado em produtos fraudulentos, em oito estados: Alagoas, Goiás, Mato Grosso, Paraíba, Pernambuco, Paraná, Santa Catarina e São Paulo, brasil.

A auditoria analisou 19 espécimes das Oliveiras de Contagem, oito das Atividades agrícolas, e dois na marca da Cidade. No município de Guarulhos (SP, brasil), e foi encontrado nos rótulos na fábrica de metro dos destaques da Costanera e para os Olivais do Porto.

O diretor do Dipov (Departamento de Inspeção de Produtos de Origem Vegetal) Ministério, Glauco Bertoldo, foi informado, por meio de nota, a proibição foi o resultado da operação realizada no dia 12 de maio. “Por enquanto, o azeite é o segundo produto da comida-mais fraudada no mundo, perdendo apenas para o peixe”, alerta o diretor.

O ministério ainda está para fazer um alerta para os clientes ” desconfiança do azeite, que é muito mais barato, porque eles geralmente são fraudulentas. Glauco Bertoldo observou que os produtos são fraudulentas, custo, em média, entre us$ 7 e us$ 10, e o verdadeiro azeite virgem tem o preço a partir de r$ 17.”

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar

Notice: ob_end_flush(): failed to send buffer of zlib output compression (1) in /home/raviera/public_html/wp-includes/functions.php on line 4757

Notice: ob_end_flush(): failed to send buffer of zlib output compression (1) in /home/raviera/public_html/wp-includes/functions.php on line 4757