Geral

Para desmontar, sob bolsonaro pode levar ao desmatamento da Amazônia, a ponto de que é irreversível”, diz o físico que está a estudar a floresta nos últimos 35 anos – Notícias – R7 Brasil

Paulo Artaxo no caso do Marcos Santos/USP Imagens /NOTÍCIAS BBC-BRASIL

Sem a pressão internacional, como a que a Alemanha e a França pediram ao governo do brasil durante a reunião do g-20, o desmatamento na região Amazônica, que vai acelerar a trajetória de um crescente desenhar a partir de 2013.

Com a atual taxa de desmantelamento da estrutura da auditoria e da legislação ambiental, demonstrado durante os primeiros seis meses da destruição da floresta pode ser até um limite, ele é irreversível”, em que os dois governos, bolsonaro”, diz o cientista Paulo Artaxo, um doutorado em física atmosférica da Universidade de São Paulo (USP) e estudioso da Amazônia, foi criado em 1984, quando ele viajou para lá pela primeira vez, como parte de sua pesquisa de doutorado.

As estimativas mostram que a área já limpa é de 40% da floresta, e o resto são incapazes de sustentar o funcionamento de um ecossistema é uma floresta tropical de chuva e, neste contexto, uma parte da floresta, poderiam se transformar em terra. A Amazônia perdeu 20% da área original.

“É uma questão de importância crucial para a estabilidade do clima do planeta -, bem como para reduzir as emissões de combustíveis fósseis pelos países desenvolvidos”, explica Artaxo.

Hoje, ele está indo para a região pelo menos uma vez por mês para supervisionar o Projeto para a LBA, a torre de 325 pés, que investiga a atmosfera da amazônia, e permitiu que o cientista para ajudar a descobrir, a formação de nuvens e chuva na região.

Artaxo é um dos 12 brasileiros, que faz parte da lista de 4.000 cientistas mais influentes do mundo, que é baseada no número de citações em artigos acadêmicos Altamente Citados Pesquisadores, até 2018. Ele também é um membro, e, desde 2003, pelo Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC).

O pesquisador falou com a BBC News, para o Brasil, na quinta-feira (27), quando começou a ser relatado em resposta ao presidente do bolsonaro para os comentários e sugestões feitas pelo chanceler alemã, Angela Merkel, sobre a política ambiental do Brasil, quando você vem para o Japão, para a cimeira do g-20, a presidente disse que a Alemanha tinha muito a aprender com o país, e que ele não tinha sido uma reunião para um “ser aconselhado”.

Para Artaxo, é precisamente por causa da pressão vinda de outros países, a única maneira que você pode retardar o atual processo de desmantelamento da vigilância e do ambiente jurídico, o que ele alegou ter sido iniciada com o novo governo. Para usar questões econômicas como um trade-off, como no caso de um acordo entre o Mercosul e a União Europeia, e seria uma estratégia eficaz neste sentido.

Entretanto, o cenário de que foi a mudança no clima está mudando mais e mais para a “emergência climática global.

Em seu estado atual, o planeta vai aquecer a uma média de 3,5 ºC. No caso do Brasil, “vamos ver no nordeste, se desertificar completamente para os próximos 30 anos, vamos ver as mudanças que têm ocorrido na bacia do rio amazonas e as alterações climáticas sem precedentes nos últimos 10 milhões de anos.”

“Isso vai acontecer. O que podemos fazer para minimizar isso.”

Por favor, leia a seguir trechos da entrevista. O brasil reduziu a taxa de desmatamento em 24 mil km2 por ano, até 4.000 km2 entre 2004 e 2012 Paulo Whitaker/Reuters do Brasil

Notícia da BBC do reino unido – Como o senhor avalia a agenda ambiental em seis meses para o governo do bolsonaro?

Paulo Artaxo, que é A mesma coisa que Trump tem feito nos estados unidos. Basicamente, para desmantelar todas as leis ambientais – que é, no Brasil, foi construído o caminho mais difícil nos últimos 30 anos, incluindo o Código Florestal brasileiro, e assim por diante), e remover toda a estrutura do controle do Ministério do meio Ambiente.

Porque este é um governo que tem, como uma das principais demandas da não-conformidade com a lei. Temos um governo que, a qualquer momento e dizer, ‘Olha, nós não vamos fazer cumprir a lei, essa lei não se aplica a presente lei não é boa’. É da criança para a criança no carro, seja no meio rural na região Amazônica, o presidente, publicado em junho de Medida Provisória para a abolição do limite de tempo para o dono da terra, que faça o cadastro).

Então, é uma lei que eles não gostam, você não quer fazer. Esta é a primeira vez no Brasil, temos um governo que vai de encontro com sua própria razão de existência, que é a de fornecer um quadro jurídico para um país como o Brasil.

BBC News – o Brasil Em termos de ação concreta, o que é isso para desmontar, para que o deputado. johnson se refere?

Artaxo, A principal coisa é que você está incentivando ações violentas em campo. A atual administração está fazendo, antes de tudo, pela maneira de não pronúncia quando tais atos de violência acontecem.

O brasil é o campeão de ações ambientalistas e aqueles que lutam pelo direito à terra, contra a população indígena, e assim por diante e assim por diante. O que estamos vendo é uma fração muito pequena do que está acontecendo no campo, e que é o que aparece na mídia.

O segundo problema é a destruição de todo o sistema de fiscalização ambiental no Brasil. A agência foi, por exemplo, um assim chamado Prevfogo, para a prevenção de incêndios florestais, que têm centenas de funcionários de um ano atrás, e agora está reduzido a algumas dezenas de pessoas para cuidar da luta das queimadas na Amazônia.

É um sistema em que, mesmo no Brasil, no próximo ano, com base na necessidade de combater o fogo, basicamente, todas as pessoas que estavam a lidar com ele, foram considerados.

BBC Brasil-o governo fala, em tais casos, é o resultado de uma falta de recursos, o que, em última análise, afeta todos os ministérios…

Artaxo, o Brasil é a nona economia do planeta, e há a questão da falta de recursos. A falta de recursos é um motivo para você implementar a sua própria agenda. Por que não há falta de recursos para pagar os juros da dívida? Por que não há falta de recursos para financiar a produção agrícola e pecuária no brasil? Por que não há falta de recursos para fornecer subsídios para a indústria?

E há uma falta de recursos para manter um sistema, tais como o Prevfogo, não custa absolutamente nada para o país, mas ele foi desmontado. O que falar da falta de recursos não existe. O problema é, de onde alocar seus recursos. É a mesma coisa nos estados unidos. Trump removida toda a estrutura da Agência de Proteção Ambiental (EPA). É falta de dinheiro? Não. Este é o livro.

BBC News-Brasil, sr., listados para o segundo ponto é que esse desmantelamento da estrutura da auditoria…

Artaxo e de Imposição da legislação. Ele passa, por exemplo, o desmantelamento do Conama (conselho Nacional do Meio Ambiente), criado em 1981, que é a parte física do mesmo), no âmbito do acompanhamento e monitoramento das mudanças climáticas globais, o que antes era dividido entre o Ministério da Ciência e Tecnologia, o Ministério do meio Ambiente e o director-geral.

Se você está indo agora em todos esses três corpos, e a questão de quem cuida da questão das mudanças climáticas no país, e você pode não encontrar ninguém. Toda a divisão climática do MINISTÉRIO não existe mais.

Esta é a desmontar para refazer tudo isso em um futuro governo, ele vai levar de 10 a 20 anos, realmente.

BBC News – Brasil a Partir de um ponto de vista ambiental, que é o tipo do resultado de médio e longo prazo, tais políticas poderiam levar? Pode haver algum tipo de dano irreversível?

Artaxo, Pode já não ter. O desmatamento na Amazônia brasileira é cada vez maior, por causa de toda a mecânica da luta foram quebrados.

Eles não são problemas no futuro, é do presente tenze. A emissão de produtos químicos tóxicos. Nós vamos ter um problema no futuro. Não, nós estamos tomando sobre isso. Eles são quase 250 novos produtos químicos que são proibidos em outros países, aprovado, para esses seis meses. Ele não está no futuro, é uma perda de hoje, que já está em vigor.

BBC News-o Brasil, Há uma conta do “ponto de não retorno” para a Amazônia, a floresta, seria a auto-destruição, seria uma compensação de 40% de toda a área. Quão longe estão de nós, para que o limite?

Artaxo Ontem (26/6), o Instituto Nacional de Pesquisas espaciais) divulgou uma nova edição de o quanto da floresta original foi cortada para baixo.

Nós desmatamos 20% – 20% dos 5,5 milhões de km2, é uma área muito grande. As estimativas de cálculos de Carlos Nobre, Thomas Lovejoy mostra que, se o que você tem que reduzir para 40% da floresta, e, basicamente, o resto não está em uma posição para apoiar o funcionamento de um ecossistema, uma floresta, uma chuva tropical.

E, em seguida, todo o carbono armazenado na floresta vai para a atmosfera, bem como, em muita coisa, e a mais rápida a mudanças no clima.

Nós não estamos falando de uma trivial, ou um aspecto dela que não ter um sério impacto sobre o clima do planeta. É uma questão de importância crucial para a estabilidade do clima do planeta -, bem como para reduzir as emissões de combustíveis fósseis nos países desenvolvidos, em particular nos estados unidos.

BBC Brasil – Então estamos no meio da estrada.

Artaxo Isso, estamos no meio da estrada. E o resto do caminho pode acontecer nos próximos oito anos, durante os dois mandatos do governo, bolsonaro.

BBC News – o Brasil No ritmo atual, esta pode ser uma possibilidade real?

Artaxo – não há Nenhuma dúvida sobre isso. A única coisa que você pode fazer para se prevenir é a pressão internacional. É isso que os Líderes estão fazendo esta semana, a chanceler alemã, angela merkel, disse em uma sessão do Parlamento, está “muito preocupado” com as ações do presidente brasileiro nos campos do meio ambiente, disse, considerando que a situação é “dramática” e disse que ele conversaria sobre o assunto, com o bolsonaro para a cimeira do g-20).

A mesma pressão não é suficiente, você não tem força.

BBC News-Brasil – e A maneira como ele é, neste caso, para usar como moeda de troca, os problemas econômicos são importantes, tais como o acordo do Mercosul com a União Europeia?

Artaxo, É Claro. Acordo mercosul-UE, que foi anunciada em conjunto com o G-20, e traz os objetivos do clima, FRANCK ROBICHON/EPA/BBC

BBC News – o Brasil, a Este respeito, o governo pediu ao Fundo Amazônia. O ministro do meio Ambiente, entram em atrito com a Noruega, que é um dos principais apoiadores do fundo, informando que não há nenhuma indicação de que ele tem ajudado a reduzir as emissões do desmatamento e apontando os problemas nos contratos com organizações sem fins lucrativos. Faz sentido para a revisão do ministro?

Artaxo Ver que o ministro não tenha feito um comentário. Ele afirmou que o Fundo Amazônia, sem qualquer comissão para fazer uma análise de cada projeto que estava sendo realizado, a ser desvio de recursos. Por que isso é assim?

Porque o Fundo da Amazônia é o único instrumento que está em operação hoje, trabalhando para a sustentabilidade e a conservação da Amazônia brasileira. Não há outros recursos financeiros para fazê-lo.

O segundo ponto: o Fundo Amazônia tem mais de 300 milhões de dólares, depositados com o BNDES, esperando para ser usado. O primeiro-ministro quer fazer é colocar a sua mão sobre estes r$ 300 milhões.

Este é o dinheiro que está aqui, ele já foi dado, é muito difícil para a Noruega para a Alemanha para pedir o dinheiro de volta. Mesmo se eles têm que cortar futuro investimento no fundo, ele já foi feito.

BBC News – o Brasil Tomar no seus próprios, na Noruega, entretanto, temos o recente caso da mineradora canadense pacific Hydro Alunorte, que despejava lixo na cabeceira da selva amazônica, por meio de um tubo para o subterrâneo. A posição do país no fim de cobrar uma política ambiental, que é responsável para o futuro está em risco?

Artaxo Você tem que quebrá-lo em questão de macropolítica está ligado com a mudança global do clima, com foco em um particular, de um, dois ou três partidos.

É claro que as empresas, incluindo a equipe alemã no Brasil, aproveitando a fraca legislação ambiental no brasil. A mesma coisa vale para a Noruega, EUA e França.

BBC Brasil – Neste caso específico, o governo norueguês também é accionista.

Artaxo-não importa de que é um negócio. Este é um sim.

E a culpa não é deles, é nosso. Nós é que temos que ter leis para proteger a população a partir de questões tais como Brumadinho, etc. O erro não é deles, é nossa, que a fragilidade da nossa legislação é proteger a economia e a população.

BBC News – o Brasil, Que é a maneira mais eficaz para controle do desmatamento?

Artaxo Controle do desmatamento é muito, muito, muito, muito, muito simples. Temos todas as ferramentas para fazer isso. Um sistema para o monitoramento de incêndios florestais, que não existem em qualquer outro lugar do mundo, eu amo a idéia de RODOVIAS obras é muito eficaz e tem sido melhorada e validado com experimentos em campo ao longo dos últimos 20 anos.

A cruz é agora o MapBiomas, com um cruzamento com o cadastro ambiental rural e a dados sobre a posse da terra, as pessoas não sabem exatamente onde, mas com quem você está desmatando.

No Brasil, se você deseja redefinir o registro em log, você pode fazê-lo no ano que vem. Ele não está faltando alguma da tecnologia para fazer isso, basta vontade política.

(2004 a 2012), temos sido capazes de reduzir o desmatamento, de 24 km2, para o ano de 4 mil milhões de km2). Esses 4 mil km2) na 2013/2013 agora você está em 8 milhões de km2 de área, e, em 2019, será um número mais próximo de 10 km2 de florestas desmatadas.

BBC Brasil – ministro, Ricardo Salles defende a geração de empregos para as comunidades locais, como uma alternativa para a exploração ilegal da floresta, como uma forma de reduzir as emissões do desmatamento. Faz sentido.

Artaxo, Não. Até mesmo um dos principais projetos do Fundo Amazônia, que é executado pelo Instituto de Pesquisa Ambiental da Amazônia (Ipam), trabalhou por quatro anos em exatamente dessa forma: como dar uma vida digna para as populações de fronteira, a tal ponto que eles não têm de seguir em frente e continuar desmatando.

Com isso, você está atacando um dos aspectos do desmatamento, que é muito mais complexo e que envolve grandes empresas do agronegócio, as empresas de mineração, extração de madeira, e também os pequenos fazendeiros e agricultores da terra.

Este é um projeto do Ipam foi um extremo sucesso, e evitou o desmatamento de grande, porque ele deu uma perspectiva de renda e assistência técnica para os produtores de pequena escala no sul do Pará, brasil. Por um pequeno investimento de r$ 2 milhões, ou us$ 3 milhões, o que traz uma enorme resposta da comunidade e para os estados unidos.

É sempre possível achar um caminho de sustentabilidade para a região Amazônica, com um alto rendimento, decente para os 20 milhões de brasileiros vivem na região amazônica? A resposta é claramente sim. Mas, para isso, você precisa de políticas públicas para ser consistente, de longo prazo. Ricardo Salles não descarta a possibilidade de mineração em terras indígenas NACHO DOCE/REUTERS

BBC News-o governo do Brasil tem tentado tirar da Funai para o Ministério da Justiça, o Congresso decidiu mantê-lo em uma pasta. O presidente é editado e, em seguida, a nova Medida é Temporária, e transferido para a competência de delimitação e demarcação de terras para a Agricultura, mas a medida foi realizada pelo SUPREMO tribunal federal. Como o senhor avalia no braço?

Artaxo, Não importa onde no mundo, a Funai vai ser, na minha opinião. Pode ser na Agricultura, pode ser na Justiça, e no Meio da sala, em qualquer lugar.

Mas, se é um posto da Funai, os fracos, os mortos, e dez funcionários para cuidar de centenas de povos indígenas… não importa.

O que é mais importante, é a política do governo é, na verdade, destruir as populações indígenas do brasil. É a mesma coisa.

Neste processo, se ele é a Agricultura, seja na lei, na minha opinião, isso realmente não importa. O que nós queremos é a Funai, forte, que, em efeito, para proteger a população indígena para cuidar dessa população é indígena, que é a de proteger os mineiros, os ataques, os latifundiários, e dos grupos de milícias que atuam na região Amazônica, para o aumento do tráfico de drogas que está indo forte na região Amazônica, ao longo de sua fronteira com a Colômbia, a Bolívia e o Peru. E isso não está acontecendo.

BBC News – o Brasil Em meio a polêmica da Funai, podemos ver que a circulação de mapas mostrando as áreas de reservas indígenas são aqueles que…

Artaxo, – A floresta é mais preservado. Isso é verdade, você está de medição para uma tv, fácil. É precisamente por esta razão que os povos indígenas estão sendo atacados porque eles são capazes de preservá-lo devidamente ao mundo.

BBC News-o governo do Brasil ameaçou retirar o Brasil a partir do Acordo de Paris, mas ele voltou. Você tem visto isso como um aviso de que positivos?

Artaxo -para Sair ou não sair, na minha opinião, é uma questão meramente semântica. Se você não cumprir suas metas, ou – o que é, o Trump acabou de comprar.

Por que se preocupar em ficar de fora do Acordo com a cidade de Paris? Não é só para atingir os objetivos – não punição para ninguém. Ele não é relevante para a questão de sair ou não sair, se você não tem uma política sobre como cumprir com as obrigações internacionais do país em matéria de ambiente e energia.

BBC News – O Brasil na ministrofalou que as metas serão cumpridas…

Artaxo, Dependendo de como calcular a sua conformidade com estes alvos… O país está empenhado para o reflorestamento de 12 milhões de hectares de terra. Nas florestas, abandonados que estão neste canal? Se for, então somos cumprida. Mas é a promessa que tem sido feito nesse sentido? Não, ele foi feito no sentido de promover novas áreas de plantio, a fim de remover CO2 da atmosfera. E isso não está sendo feito.

Os outros tópicos estão indo para ser tão difícil. Por exemplo, um aumento significativo da quota de fontes de energia renováveis, a energia solar e eólica na matriz energética brasileira. Isso está sendo feito, mas muito mais lentamente do que o necessário.

A promessa principal, que é a de reduzir o desmatamento ilegal a zero até o ano de 2025… e Este ano, nós desmataremos 10 km2 de floresta virgem. Ele não tem de ser cumprida. Nós não vamos atingir os nossos objectivos.

BBC News – o Brasil Ainda é, no caso de um Acordo em Paris, e ele disse que o governo reviu sua posição, pela pressão de sua própria agricultura, que tem feito um contraponto a alguns dos aspectos da política ambiental bolsonarista…

Artaxo, Bem como na sociedade brasileira, é importante para nós perceber que há duas correntes em conflito, o governo e o agronegócio, que é dramaticamente dividido.

Assim como a empresa brasileira acabou sendo quebrado por esse discurso de ódio e violência.

Ele tem uma corrente no setor de agronegócios, o que ele diz, ‘Vamos ocupar a região Amazônica, assim que possível, como podemos, nós vamos derrubar tudo o que for possível, sem qualquer fiscalização, sem qualquer punição, sem qualquer tipo de controle do estado. Esta é uma cadeia.

O outro é aquele que diz, ‘Olha, essa é uma estratégia que vai nos prejudicar, prejudicar a imagem do setor de agronegócios no brasil e no exterior e em pouco tempo vai ser difícil para os estados unidos para exportar para a China, porque nós estamos sendo acusados de um predador do meio ambiente” – e isso não é um bom negócio para o Brasil.

BBC News uk – duas Dessas cadeias são representados hoje, no Congresso?

Artaxo – – Sim. É claro, o ex-atualmente é o mainstream, é claro.

Então, temos que trabalhar para construir políticas públicas para desacelerar a destruição da floresta amazônica, agora que o presidente tem uma política para destruí-los o mais breve possível para a maior parte da floresta. Na praia de Copacabana que você vê hoje vai ser uma coisa do passado, diz Artaxo, Marcos Santos/USP Imagens/NOTÍCIAS BBC-BRASIL

BBC News-Brasil – você acha que há um risco de que o Contrato com o Paris virar um do Protocolo de Quioto, eu não vejo as metas cumpridas, e se torna uma frustração no futuro.

Artaxo Não é uma questão de ser frustrado. Há um grande problema com a questão das mudanças climáticas globais é a ausência de boa governação.

Esta é a história do fracasso de Kyoto… Não é um fracasso. Seria impossível sem um sistema de governança global para o trabalho, você tem que chegar ao acordo de Quioto, bem como que vai ser impossível atingir as metas do Acordo, em Paris, frança.

Quem é que vai NOS punir por não cumprir com os objectivos. Quem é que vai punir os estados unidos? O que o tribunal vai julgar isso? Quem é que vai impor as sanções? Isso é tudo que existe. Tudo isso terá que ser construído a partir do zero.

O que temos a fazer, após o Acordo de Paris para estar em linha com o link ou haverá penalidades para torná-lo claro para o país que não cumprirem suas metas. Por agora, queremos reduzir as emissões.

Mesmo se todos os alvos no Contrato, de Paris, está a ser mantido, o planeta está a aquecer, mesmo em 2,7 GRAUS c, em média, do que nas regiões do interior levou a um aumento de 3,5 graus celsius.

BBC News-o Brasil – que é, a nossa geração está indo mesmo para ver uma situação como um desastre…

Artaxo Não é um desastre. É importante dizer que você está colocando em risco a nossa existência (como na humanidade).

Eu não gosto de chamá-lo de um desastre. Vamos ver, o planeta está a aquecer, com uma média de 3,5 ° C, vamos ver no nordeste, se desertificar completamente para os próximos 30 anos, vamos ver as mudanças que têm ocorrido na bacia do rio amazonas e as alterações climáticas sem precedentes nos últimos 10 milhões de anos.

Isso vai acontecer. O que podemos fazer para minimizar esse. No próximo post, Paris vai ter que lidar com isso.

É por isso que, nas últimas semanas, uma série de países que estão dizendo que estamos prestes a entrar em uma “emergência climática. Ele caiu do jack. A irlanda vai proibir a venda de carros com um motor a gasolina, o diesel, ou qualquer combustíveis fósseis a partir de 2025. Na noruega, também.

Em outros países, eles estão tentando fazer o máximo de dinheiro possível agora, antes que a situação ocorre, como nos estados unidos.

BBC Brasil – O senhor fala da queda do jack, mas o problema do meio ambiente, através da mobilização de um menos a sociedade civil do que em outras disciplinas. Os cientistas têm vindo a falar sobre os impactos negativos com graves na vida das pessoas, a médio prazo, e mesmo assim, não há nenhuma pressão social é importante para o governo tomar uma atitude na tentativa de evitar uma situação como essa.

Artaxo ” Olha, você acha que as pessoas estão realmente cientes do que significa para você para lhe dar uma arma nas mãos de cada um e de todos os brasileiros? Você acha que as pessoas estão cientes de que? Não.

Estas são as coisas que estão no dia-a-dia deles, e o nível de violência urbana, e o povo votou para ele. Bem, para responder.

BBC News – o Brasil Não é bom para mostrar um mapa com as cidades capitais ao longo do Brasil submarinos…

Artaxo Não. Mas, a Ciência é muito clara. O nível do mar vai subir de 1,5 metros, até 2050 2070. Na praia de Copacabana que você vê hoje vai ser uma coisa do passado.

Não há espaço para dúvidas – e este processo é irreversível e, em seguida, fazer o que você quer fazer isso com o Acordo do distrito. Vamos falar em português bem claro.

BBC Brasil – na Sua opinião, como um cientista, então, contra esse pano de fundo, ele é um otimista ou um pessimista?

Artaxo, Esse negócio de mídia à procura de heróis e vilões para ser otimista ou pessimista… Não existe tal coisa.

A empresa tem uma dinâmica complexa, que é conduzida não pela vontade do povo, mas, no interesse da economia. Quem é que vai mandar para você, é o seu dinheiro.

Um grupo de 477 investidores, que gerencia um capital total de US$ 34 trilhões de ter assinado uma carta aberta ao governo dizendo que precisamos urgentemente de pressão para que os objetivos do Acordo, em Paris, e para tomar medidas concretas e mensuráveis para reduzir suas emissões já.

Por que eles estão fazendo isso? Não é porque eles são bons. Eles têm apenas uma preocupação: como é que eu vou continuar a fazer dinheiro? Uma parte dos bilionários perceber que eles estão assumindo um risco enorme.

Agora, voltando à sua pergunta, não é uma questão de ser otimista ou pessimista, você tem que ser realista: que nem um lado nem o outro.

Essa é a realidade de que ele está nos dizendo é que estamos, na verdade, acelerando a mudança climática e os eventos climáticos extremos que já estão a ter um impacto econômico sobre o social e enorme na nossa sociedade, e isso vai aumentar muito e em um futuro muito próximo, dentro dos próximos cinco a dez anos.

Isso vai trazer uma recessão económica mundial, sublinha a enorme entre os diferentes países. Agora você tem uma área no Oriente Médio do que é na cidade do méxico. Quando uma região se torne um deserto, com cinco graus mais quente do que é hoje, e o que vai acontecer com a migração para a Europa. O que estamos vendo hoje é uma amostra grátis do que você vai ver nos próximos dez anos. Nesta listagem estão caindo.

BBC News, o Brasil Ainda é líder como o presidente e o vice-presidente não acredita em…

Artaxo -Esta é uma questão de “eu acho” ele também me deixa doente no debate. Não é uma religião, estamos falando de Ciência. Você acredita em Deus, e acredite ou não, sua mulher, não importa.

O que estamos a analisar, cientificamente, é que estamos mudando duro e rápido para o clima do nosso planeta. Ponto.

BBC Brasil – Todos os direitos reservados – É proibido qualquer tipo de reprodução, sem permissão prévia por escrito da BBC

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar

Notice: ob_end_flush(): failed to send buffer of zlib output compression (1) in /home/raviera/public_html/wp-includes/functions.php on line 4757

Notice: ob_end_flush(): failed to send buffer of zlib output compression (1) in /home/raviera/public_html/wp-includes/functions.php on line 4757