Geral

Você finge que me engana e eu finjo que acredito: os 10 sinais de inovação, tais como a Tecnologia e Ciência – R7-Programa de Inovação 360

O Programa Inova No 360-Programa De Inovação 360

Por Jane Bernard

A transformação que estamos vivendo no mundo e está no negócio, falando sobre inovação virou o “little black dress, a base de qualquer organização e, na verdade, que eles são preparados para serem inovadoras.

Seja conversando com colegas, na leitura de uma forma mais honesta e estável sobre o assunto, uma coisa fica clara: há um monte de empresas de falar mais do que fazer, reagindo mais do que agindo, clamando em alta no palco, e pouco é investido no tópico.

O medo de ser deixado para trás, de ser engolido por uma start-up de 18 anos de idade, com um forte investimento, o anjo (ou não é), ele fez um monte de empresas que estão comprometidas com o mercado e pedir que a atmosfera seja mais inovadoras. O grande problema é que muitos empresários ainda não têm conhecimento de que a inovação tem de ser patrocinado, e ele começa pelos proprietários, parceiros, acionistas e executivos.

Quando eu digo de início, um erro vem à tona, você não tem a necessidade de inovação, de geração de renda para a empresa, mas pela compreensão e comprando a idéia de que a inovação é um tema central para qualquer organização que entende que a chave é a de desaprender, de aprender e de se reinventar constantemente, e pensando em você o dia todo como criar, até mesmo um concorrente ou um substituto de seu produto ou serviço.

É um mito dizer que fomos capazes de inovação, sem negligenciar os modelos mais antigos. Você precisa ser realmente aberto para novas ideias, para que a inovação pode acontecer em forma fluida dentro da empresa. Assim como seria um erro dizer que alguém capitaliza-lo sozinho, porque, para falar sobre inovação, nós sempre conversamos sobre a rede, e a cultura, e o que não está no fragmentada, e que nós podemos dar-lhe um bom começo para um mínimo, para resolver problemas complexos. E como nada para fazer avançar a provocação para o mover quando você não estiver disposto a mudar, vamos ver abaixo, porque você só acha que é bom o suficiente.

Conheça os dez erros mais comuns que as organizações fazem a inovação frente:

1 – ELES ESPERAM RESULTADOS RÁPIDOS E INOVAÇÃO

Para construir uma cultura de inovação que leva tempo, bem como a clareza do papel, somos mais flexíveis, criativos, investindo nas pessoas, e, às vezes, o espaço físico do assentamento. Tudo isso é construído no dia-a-noite, como, então, podemos esperar que os resultados da inovação será sempre medido em ROI (retorno sobre investimento), e por um curto período de tempo?

Por favor, lembre-se que o foco no curto prazo, está ligada diretamente, de uma forma negativa, com inovação o tempo todo, e de uma forma trata-se de compreender que tudo, em seu tempo, o futuro da américa já é um bom indicador do resultado.

2 – O USO E O ABUSO DO COMANDO, CONTROLE E CENTRALIZAÇÃO

Para inovar, precisamos de ambientes que são dinâmicos e um pouco pesado, e, portanto, o processo de tomada de decisão precisa ser re-distribuído. Isto é, quanto mais o poder está nas mãos de mais pessoas, você vai ser capaz de decidir, no fluxo, acontece de forma rápida e o peso da frase popular “cometer erros rápido e correção rápida’ só se faz a suposição de que o ambiente torna possível para as crianças.

Fazendo uma analogia rápida com o jogador do jogo, quando um clube contrata um treinador, é visto como o cérebro da equipe, com o objetivo que ele tem de configurar uma boa estratégia. Imagine, então, que o presidente da equipe, você quer dizer em todas as políticas e planos de este treinador, que passa a ser apenas uma figura de ti. Permitir que a equipe de trabalho.

3 – ELES NÃO ENTENDEM QUE ALGUMAS DAS MELHORES IDEIAS PARA SAIR DA BASE

Uma vez Steve Jobs disse algo que combina perfeitamente com o tema da inovação: “não faz sentido contratar pessoas inteligentes e dizer-lhes o que deveriam fazer; vamos contratar pessoas inteligentes, de modo que eles serão capazes de nos dizer o que fazer.”

Apenas dando espaço para ideias que emergem a partir de tudo isso é que faz um grande estoque de idéias que são relevantes para você como uma porcentagem e pode ser transportada e aplicada no dia-a-dia. Dê a ele uma voz.

4 – VOCÊ NÃO TEM UMA GESTÃO DE IDEIAS, COLABORAÇÃO

Apenas dê a ele uma voz, mas você não tem que ter a gestão de tudo isso, você pode tornar o processo ainda mais lento. Hoje, há uma série de ferramentas e métodos para a gestão da mente e que está a aumentar a taxa de sucesso do processo de inovação.

Um bom exemplo disso é o negócio para a GE, um gigante e um lucrativo, General Eletrics, que iniciou sua gestão de ideias, a pedido do então CEO Jack Welch, em uma única caixa física que eles depositados em suas idéias, o que teria permitido a funcionários para participar de todo o processo de inovação da empresa.

5 – NÃO COLOCAR A INOVAÇÃO NO CENTRO DO NEGÓCIO E DA AGENDA

Recentemente, Ram Charan, um indiano de mais de 80 anos atrás, um mentor e um consultor para os principais executivos e empresas de todo o planeta, que confirmou algo que eu aprecio muito: “A questão é, ‘o que há de novo?’ você precisa ser em todas as reuniões e discussões, o tempo todo.” É assim que tem fortalecido seu maior conselho desses agentes, que estamos pensando em inovação, se é uma parte de sua rotina, se é para ser visto como o ponto alto das discussões, que são essenciais para qualquer função dentro da organização.

Este é o tipo de mentalidade (pensamentos) que você precisa para promover o seu negócio. Se ele não começar de cima, é improvável ter sucesso na estratégia de inovação. As empresas podem ter uma cultura de inovação para emergir do chão, mas sem o apoio, financiamento, patrocínio e investimento, é quase que ela vai puxar esta off, e é isso que distingue a idéia de real inovação, o que gera valor para o mercado, e na frente.

É necessário reconhecer que a inovação não está chegando lá em cima no topo não é, é claro, que é tudo o que tem já em forma de nosso pensamento econômico e social-tornou-se obsoleto, e que é, há uma necessidade urgente de criar novos modelos de pensar e a necessidade de dar-se que você já conhece e reconhece, e ele está lá, e você paga por tudo isso.

Para saber se uma empresa coloca a inovação no centro, pergunte a si mesmo o quanto de espaço você tem sobre o assunto está na agenda da alta gestão, em quantas comissões para avaliar e selecionar idéias para investir em, existem agora, e qual será o papel que a inovação vai jogar em suas leituras e estudar a cada dia.

6 – NÃO INVESTIR NA FORMAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DE EQUIPES

Se você está novas tecnologias e novos padrões de comportamento e de ser valorizado, bem como as empresas que estão investindo em suas equipes para reconhecê-los? O medo dos empregados que deixam a empresa, e devolvê-lo, juntamente com o conhecimento para prevenir muitas empresas vêem o óbvio com nenhum novo conhecimento, sem novas ideias.

7 – VOCÊ TEM MEDO DE COLOCAR DINHEIRO EM ALGO QUE É INTANGÍVEL

Esta é uma enorme barreira nas organizações, e em muitos deles, a inovação ainda anda com o orçamento, em conformidade com a demanda, e, às vezes, ser limitado. Para colocar mais dinheiro em Marketing e Publicidade no interior da casa.

É verdade que também existem maneiras de inovar, de forma gratuita, e que não é o caso para a inovação, exclusivamente a partir de laboratórios, e para os milhões em jogo. Isso, no entanto, é limitado, e um monte de ter a chance de testar, aprender, falhar, começar tudo de novo. Investir em inovação é um passo crucial para o sucesso da iniciativa.

A realidade é que, se não se investir agora, vai ser difícil para a organização, você vai colher bons frutos nos próximos anos.

8 – MEDO DE CONFLITO

A inovação sempre leva a problemas e conflitos, mas também para o caos que, às vezes, você tem o poder para mudar.

O conflito é uma parte de todo o processo de inovação, e, se o experimento é tratada como um negativo, a idéia é tentar ressignificá por meio do diálogo, porque, quando oferecemos um espaço para debate, podemos começar a entender o valor positivo do conflito que leva ao progresso.

9 – BASTA OLHAR PARA O CONCORRENTE, E NÃO PARA O QUE SURGIU

Você pode perceber que muitas das inovações da chamada perturbadora para o mercado e veio do mesmo lugar, ou os padrões mentais que já são conhecidos. É por isso que existe é um termo que diz, “Uberização das coisas, porque dos muitos modelos semelhantes são aplicadas para negócios distintos, mas se você seguir o padrão, Você pode compartilhá-lo e lucrar com ele sem ter.

Mas há uma muito maior inovação, se permitirmos ser nascido de que o que vem de baixo, e o material sobre o ” U ” TEORIA (que vem da palavra) são capazes de offerr formas de trabalhar desta forma, para tentar melhores resultados para a ciência.

Cabe às organizações, a decisão de ser um pioneiro, ou espectadores neste mundo em constante transformação.

10 – EU TENDEM A SENTIR-SE CULPADA E RESPONSÁVEL PELA FALHA

“Mas me diga, quem é a culpa? ”

Ou, ele está aberto a um erro, ou você vai ouvir muito essa frase, aqui e ali.

Nesse ponto, ele deve ser claro, do obstáculo, para a inovação, e que nasce de uma cultura, que é aberto ao erro, que é a coisa mais importante, quando as coisas dão errado, é para compartilhar ideias, conversar com a equipe-o em meu colo, obrigado pela coragem e tentar por aquele que deu e também aqueles que executou a ideia, então há uma chance para refletir sobre o que você traz para a aprendizagem.

No final, a mensagem é que não é suficiente dizer que, a partir de amanhã, a companhia vai se tornar o novo que nunca foi realmente feito. Não basta você querer ver a inovação para que descia do céu, e o trabalho, é possível começar a trabalhar sobre a cultura, tenha em mente que o processo não é rápido, e tome cuidado para não retardar demais. Você pode esquecer-se sobre a palavra “medo”, e você tem que lembrar todos os dias do poder da palavra para assumir o risco, de modo que começamos a criar um ambiente que seja propício para a inovação, e ele sai da parede, venha para o pro jogo, e fazer um gol.

Obrigado pela leitura e até a próxima.

Julian, Bernardo, escreveu a coluna “Inovação no Mundo Real,” na Inova360, um parceiro do portal R7. Formado em Administração de empresas, com especialização em Liderança Transformadora, pela LAJE, e na Comunicação, do Marketing e da universidade, ela é uma líder na Gestão da Inovação no BWG Grupo no Brasil.

[email protected]

https://www.linkedin.com/in/juliana-bernardo

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar

Notice: ob_end_flush(): failed to send buffer of zlib output compression (1) in /home/raviera/public_html/wp-includes/functions.php on line 4757

Notice: ob_end_flush(): failed to send buffer of zlib output compression (1) in /home/raviera/public_html/wp-includes/functions.php on line 4757